Arquivo da tag: DIOR

A HISTÓRIA DE Maria Grazia Chiuri NA Dior.

Maria Grazia Chiuri, nasceu em Roma, Italia, em fevereiro de 1964. Ela foi a primeira mulher a assumir o posto na direção criativa da Dior. Antes disso, passou um bom tempo dividindo a direção criativa da Valentino com Pierpaolo Piccioli.

Com sua saida da Valentino, ela teve sua estreia na Dior, e claro, com toda sua ousadia e excentricidade, deixou o mercado impactado com sua coleção que trouxe o feminismo como tema principal, o que repercutiu e muito na mídia, os looks com renda e transparência combinados com camisetas estampadas com frases de empoderamento, que sem duvidas são as queridinhas do publico fashion.

E como disse a própria estilista: “desafiei as regras da beleza moderna”, e é isso que ela nos mostra com sua ousadia em uma marca de historia e tanto prestigio.

Casada e mãe de dois filhos, Maria Grazia linda e loira segue nos encantando e conquistando á cada coleção que dirige para a magnifica Dior.

*

Por Alan Prates, professor do Núcleo de Criação da  Sigbol Fashion

Referências: 1

A HISTÓRIA DE RAF SIMONS NA CALVIN KLEIN.

Raf Simons nasceu em 12 de janeiro de 1968, em Neerpelt, na Belgica. Simons começou sua carreira como estilista em 1995. Autodidata, lançou sua própria marca de moda masculina que leva seu nome.

Em 2000 ele se retirou do mundo da moda para um ano sabatico, por não dar conta da burocracia do show business. Voltou com suas criações em 2001, quando retomou novamente sua marca, em 2005 criou sua segunda linha; a “Raf by Raf Simons”.

Sua inspiração é a juventude, e sempre com o design minimalista, como ele gosta de citar: “orgulho pela individualidade”.

Em 2005 foi contratado para assumir o lugar de Jil Sander na marca (trabalhando paralelamente em sua marca), e permaneceu até 2013. Simons se tornou o queridinho da critica, sendo um dos principais responsáveis pela volta do minimalismo dos anos 1990. Em 2012 com a saída de John Galiano da Dior, foi a vez de Simons mostrar seu talento na marca, que permaneceu até 2015.

Por fim, Simons em 2016 assume o cargo na direção criativa da Calvin Klein, onde atualmente faz um trabalho magnifico, e a cada temporada de desfiles nos impressiona com sua ousadia e criatividade.

*

Por Alan Prates, professor do Núcleo de Criação da  Sigbol Fashion

Referências: 1

 Apostila de Estilo da Sigbol Fashion.

Peplum ou basque?

O Peplum ou basque nada mais é do que um babado em corte godê que começa na altura da cintura, finalizando na altura do quadril ele pode ser produzido em peças como blusas, blazeres ou saias.

O relato de seu possível surgimento teria ocorrido a principio nos vestidos das damas do século XIX. Não eram tão embabadados como hoje, eram mais estruturados e volumosos.

imagem1

Também há quem diga que seu surgimento teria ocorrido ainda na Grécia antiga, já que a etimologia da palavra greco Peplos se refere a uma túnica ou vestido longo com um retalho de tecido dobrado e com cinto em volta da cintura.

imagem2

Isso quer dizer que o que chamamos hoje de Peplum vem desde o inicio do século XIX. No século XIX o peplos, ou peplum virou basque e era usado somente em jaquetas que tinham uma modelagem mais longa e deviam cobrir um pouco das saias volumosas da época. A estilista Jeanne Lanvin ainda na década de 20 ousou fazer algo diferente, criando o vestido basque por volta de 1924.

imagem3

Mas quem colocou o basque na história das vestimentas foi Christian Dior, com seu new look no final da década de 40, o objetivo da roupa era trazer de volta a feminilidade das mulheres da época.

imagem4 imagem5

Nos anos 80 ele voltou junto com as mangas bufantes ou em vestidos de gala enfatizando a cintura feminina.

imagem6E agora em pleno século XXI Alber Elbaz (estilista da marca Lanvin) aproveitando a onda ladylike e as apostas nos anos 40 e 50 somado a próxima tendência anos 20 trouxe para as passarelas o “novo” peplum que já tomaram várias formas e caimentos. Logo já é tendência, vista em muitos desfiles com essa modelagem.

imagem8imagem7

Nos desfiles as mais diversas influências internacionais estão presentes nos looks femininos: saias tipo peplum.

Sao Paulo, Brasil Ð 14/06/2012 - Desfile de Colcci durante o SPFW - Verao 2013. Foto : Ze Takahashi/ Ag. Fotosite
Sao Paulo, Brasil Ð 14/06/2012 – Desfile de Colcci durante o SPFW – Verao 2013. Foto : Ze Takahashi/ Ag. Fotosite
Sao Paulo, Brasil Ð 14/06/2012 - Desfile de Colcci durante o SPFW - Verao 2013. Foto : Ze Takahashi/ Ag. Fotosite
Sao Paulo, Brasil Ð 14/06/2012 – Desfile de Colcci durante o SPFW – Verao 2013. Foto : Ze Takahashi/ Ag. Fotosite
Sao Paulo, Brasil Ð 14/06/2012 - Desfile de Colcci durante o SPFW - Verao 2013. Foto : Ze Takahashi/ Ag. Fotosite
Sao Paulo, Brasil Ð 14/06/2012 – Desfile de Colcci durante o SPFW – Verao 2013. Foto : Ze Takahashi/ Ag. Fotosite

O  Peplum está em alta nas grandes e pequenas marcas. A releitura do antigo deu super certo, com modelagens incríveis e inovadoras, das cores básicas aos coloridos. O Peplum está ai para ser usado, como Christian Dior o lançou para deixar as mulheres mais femininas! Aproveitem e abusem dessa maravilhosa peça, seja na calça, blusa, casaco, saia, vestido e tudo mais.

imagem12 imagem13 imagem14 imagem15 imagem16 imagem17 imagem18

*

Por, Natalina Porto professora do núcleo de modelagem da Sigbol Fashion.

Referências: 123456789101112131415 e 16.

A Saia Godê

FOTO 01Depois de séculos usando apenas vestidos, as mulheres começaram a renovar seus guarda roupas, e surgiram então as saias, em vários estilos e modelagens (como as godês, plissadas, pregueadas, franzidas, etc.).

foto 3

Popularizada por Christian Dior, nos anos 50, o modelo godê é caracterizado por se tratar de uma saia bem rodada, com cintura alta, que, à época, tinha o comprimento na altura da panturrilha, e costumava ser usado com várias anáguas, para aumentar o volume ainda mais.

foto 4

É uma saia muito volumosa e, como tal, favorece muito as silhuetas mais estreitas. Também disfarça os quadris mais largos, pois, ao marcar bem a cintura, a peça se apresenta solta no caimento.

FOTO 02
A modelagem godê é bem feminina, e permanece na moda sempre com releituras e inovações conforme a época: detalhes em renda, aplicações no cós, laços, etc. O modelo pode ser usado em várias ocasiões, como reuniões, festas e passeios casuais. foto 7

É muito popular também em caracterizações para festas com tema dos Anos 60.

FOTO 03

Para confeccionar a peça, gasta-se muito tecido (o modelo é muito volumoso e necessita de um bom caimento). Em contrapartida, vale destacar que essa é uma das peças mais fáceis de serem modeladas. Existem dois tipos de godê: a simples, que é composta de meio círculo, e a guarda-chuva ou dupla, que é composta por um círculo completo.

foto 10

Vamos aprender a modelar uma godê simples?

Primeiro divida a medida da sua cintura por 3. (exemplo, 74 cm dividido por 3 = 24 cm). A partir da ponta do papel, coloque a medida encontrada, formando um círculo como se fosse um compasso.

foto 11

Depois, seguindo a linha, coloque o comprimento, acompanhando a curvatura e formando outro circulo.

foto 13

Para o cós, faça um retângulo com a medida total da cintura e o dobro da largura desejada. (Exemplo, 74 cm de comprimento por 8 cm de largura, que dobrado resultará em um cós de 4 cm)

foto 14

A modelagem está pronta. Agora é só posicionar no tecido dobrado para cortar!

FOTO 04

Depois de  cortada, ela terá apenas uma abertura.

foto 17

E depois de costurada, está pronta para balançar por ai!

foto 18

Temos aqui também um vídeo da nossa série “Mãos Que Fazem”, ensinando a montar uma godê com pala, passo a  passo. Acompanhem aí:

https://www.youtube.com/watch?v=oXUWbFbfcFs

*

Por Marjorie Campos, professora do Núcleo de Modelagem da Sigbol Fashion

Referência: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 10

Literatura Fashion – Edição Consultoria de Imagem / Personal Stylist

Demoramos mas chegamos: os top livros de cabeceira das professoras no quesito Personal Stylist! Foi muito difícil escolher os preferidos nesse quesito, visto que só eu tenho uns 200 preferidos, mas concluímos que estes são os mais mais pra ter na estante. Procurem seus exemplares, e caiam na leitura conosco!
Foto apostila - Arte de Vestir

APOSTILA “ARTE DE VESTIR”, de Sigbol Fashion: Não porque puxamos sardinha para nosso trabalho… mas simplesmente porque ele é muito bom mesmo!!  A apostila é um dos mais completos guias sobre vestimenta, e, principalmente, Personal Stylist, da área. Tanto que nos tornamos referência bibliográfica para uma diversa gama de profissionais e escritores do ramo no Brasil, como Isabella Fiorentino, consultora de imagem e apresentadora do programa Esquadrão da Moda. Foi uma das primeiras publicações brasileiras sobre o assunto, e faz parte do material de todos os cursos da escola. Então, você aluno, acabou de adquirir seu material e ainda não a leu, vá correndo estudar. Ou melhor, termine de ler o post, e aí sim vá correndo estudar!
Foto1

THE TRUTH ABOUT STYLE, de Stacy London: Quando iniciei na área de Personal Stylist, a profissão não era tão conhecida em nosso país, e, além da apostila do curso (acima citada), não havia variedade de livros brasileiros a respeito. Durante os anos seguintes, vários manuais foram e são lançados todos os anos sobre o assunto. Apesar de serem ótimos livros, em uma comparação geral, quase todos são iguais: como limpar seu guarda roupa, vestir isso, vestir aquilo, ou nunca mais vestir essa peça – está fora de moda e você não pode, etc. Mas pela primeira vez em muito tempo, Stacy conseguiu ir além em seu livro: nosso material são as pessoas, suas crenças, seus costumes, seu visual em geral. O livro fala um pouco sobre todas as pessoas que se candidataram e se expuseram para a “transformação”, e, mais importante, explorou maravilhosamente bem os motivos pelos quais essas pessoas chegaram a apresentar o visual que estavam apresentando, e como a percepção da necessidade de mudança chegou para todas elas. Um dos poucos livros que acredito que todos os Consultores de Imagem deveriam ter e reler de tempos em tempos!

Foto2

AS 100 MAIS – O GUIA DE ESTILO QUE TODA MULHER FASHION DEVE TER, de Nina Garcia: Pessoalmente, adoro os livros da Nina Garcia! Faço coleção! São livros práticos e muito gostosos de ler, que levam sempre em consideração a pessoa por trás do mesmo, ou seja, você, caro leitor! Além disso, todas as introduções falam um pouco sobre a vida da autora e seu relacionamento com a moda desde pequena até os dias atuais. Este, especificamente, lista as 100 peças mais utilizadas e mais básicas de todos os tempos, aquelas que podem estar na nossa lista de peças tem-que-ter do armário. Podem, porque aqui cada um estudará sua necessidade e o quanto cada peça tem importância no seu guarda roupa.

Foto 3

VISTA QUEM VOCÊ É – DESCUBRA E APERFEIÇOE SEU ESTILO PESSOAL, de Cris Zanetti e Fernanda Resende: Um ótimo livro com guia pessoal para descobrir-se, mas além disso, auxiliar os demais em suas descobertas pessoais sobre seu corpo, estilo, o guarda roupa que tem hoje e o que, na realidade, gostaria de ter. Escrito pelas consultoras da Oficina de Estilo, gostei muito do livro pois segue um pouco a filosofia da Stacy London sobre o que é ser personal stylist e qual nosso papel na mudança do visual das pessoas.

Foto 4

MODA INTUITIVA, de Cris Guerra: Não é um livro sobre personal stylist, propriamente dito. Porém, partindo de uma pessoa que faz experiências com moda todos os dias (a blogueira e publicitária Cris Guerra, dona do blog Hoje Vou Assim), o livro mostra um pouco de cada descoberta que a autora fez sobre seu estilo e seu tipo de corpo, mas, o mais importante para nós, como chegou a todas essas conclusões! Um livro para ler de uma vez só, mas pra guardar e reler de tempos em tempos. E aproveitar pra colocar a cachola para funcionar e treinar em seu próprio guarda roupas!
Foto 5

STYLE YOURSELF, de Jane Aldridge:  Um livro feito por blogueiros de moda pode dar certo? Alguns deles, regidos por Jane Aldridge (do Sea of Shoes) juntaram-se e nos provaram que sim, dá certo, e fica muito bom! É um livro muito legal para consultas infinitas, principalmente naqueles dias em que você está com um branco existencial de como combinar algumas peças e fazer dar certo para seu corpo e seu estilo pessoal. Mais um guia fashion que livro de personal propriamente dito, mas ainda assim muito bom para ter na estante.
Foto 6O LIVRO NEGRO DO ESTILO, de Nina Garcia: Mais um livro de Nina Garcia, e, nesse caso, fala sobre estilo pessoal, e como manter e cultivar o seu. Indispensável para a biblioteca particular do personal stylist.
Foto 7 O ESSENCIAL, de Constanza Pascolato: O livro mostra exatamente o que o título propõe, ou seja, o essencial que toda mulher deveria ter no guarda roupa, e como torná-lo mais funcional. Um livro clássico para qualquer estudante de moda.
foto 8 O PEQUENO DICIONÁRIO DE MODA, de Christian Dior: Um livro antiguinho, de 1954, que foi reeditado fazem alguns anos pela editora Martins Fontes, e surpreende por ser um dos guias mais atuais. Não no quesito moda, mas no quesito elegância. Este entrou para nosso rol top ten livros de personal porque prova duas coisas muito importantes: que muito além da roupa que você veste de manhã cedo, o que contará para o mundo serão sua elegância e sua postura dentro dela, principalmente a elegância e postura que você assume em relação aos outros que convivem com a sua pessoa. E que, acima de tudo, simplicidade e bom gosto não podem ser comprados junto com a etiqueta da loja!

Sabe de mais algum livro muito bom na área? Divide com a gente nos comentários!

*
Por Haranin Julia Maria – Professora do núcleo de moda da Sigbol Fashion

Referências: 1 e 2.