Arquivo da categoria: Dicas

Aqui você explora dicas de moda, customização, costura, e muitas outras possibilidades.

A história e curiosidades sobre o couro

A palavra couro destina-se ao material oriundo exclusivamente da pele animal, curtida por qualquer processo, utilizado como matéria nobre para a confecção de diversos artefatos para uso pessoal.

O couro foi um dos primeiros materiais utilizados pelos seres humanos para se proteger e aquecer o corpo. Mas antigamente ele apodrecia com facilidade, pois não existia processos ou agentes químicos na época.

Pesquisadores acreditam que as primeiras evidências do uso de couro curtido são do Egito antigo, 3 mil anos a.C. Nos túmulos egípcios foram encontradas sandálias de couro e vários outros produtos feitos com pele animal. O estado de conservação destas peças milênios depois, mostra que a técnica de curtir o couro já era conhecida a muito mais de quatro mil anos atrás.

O processo de curtimento do couro feito pelo povo hebreu na Idade Antiga, era feito com a casca do carvalho e é possível que tenham aprendido esta técnica durante o período em que ficaram no cativeiro no Egito.

Também, na idade Antiga, os pergaminhos usados para escrever textos, mensagens, etc. eram feitos de peles curtidas de ovelha, cabras, ou bezerro.

Na China, a fabricação de objetos em couro já era muito praticada antes da Era Cristã.

Pouco tempo antes do século XX, químicos americanos observaram algumas ocorrências durante o trabalho de curtir as peles. Descobriram agentes que deixavam o couro mais flexível do que curtido pelo processo tradicional. Com isso, passaram a realizar um novo processo para curtir o couro, agora à base de óleo e sabão. Este processo foi um grande avanço para a indústria de calçados, tornando a milenar técnica de curtimento de couro com as cascas de árvores muito menos usada.

Hoje, graças a tecnologia avançada, existem diversas possibilidades de substituição do material.

*

Pelo núcleo de criação da Sigbol.

Referências: 123456.

Manual História da Moda – Sigbol

Telma Barcellos

A clássica estampa de poá

O poá se tornou um ícone da moda na década de 50 e tem uma forte ligação com as Pin-ups. De lá para cá, nunca mais saiu de moda.

blogModacad-estampa-poa-pinup-1

Existem algumas divergências sobre a criação da estampa de Poá. O primeiro registro do termo “polka dot”, que é um dos nomes dados a esta estampa, foi na revista literária Yale, Volume 122, página 7 no ano de 1854.

Outra história conta que o poá ficou popular com a Polka, dança típica da Polônia, no fim do século XIX. Segundo os registros, alguns pesquisadores acreditam que a estampa de bolinhas foi inspirada nos movimentos circulares dessa dança festiva.

 

Na terceira história, muita gente acredita que o produtor de cinema Walt Disney criou esta estampa para sua personagem Minnie Mouse, para se destacar das listras e xadrez que estavam na moda na época.

Apesar de existir a muito tempo, a estampa atingiu seu o auge nos anos 50. Na sequência dos anos 40, marcados pela sobriedade e looks mais sérios, as bolinhas trouxeram leveza, diversão, romantismo e feminilidade para a moda.  E seguiu sendo um sucesso também nos anos 60. Conquistou estilistas como Dior e marcou figurinos de estrelas de Hollywood, como Marilyn Monroe e Audrey Hepburn. Virou até tema de música, como a versão em português da canção “Itsy bitsy teenie wennie yelow polka dot bikini – (Era um biquíni de bolinha amarelinho)”, interpretada por Brian Hyland, estourou nas paradas de sucesso!

Atualmente o poá continua conquistando e dando destaque em vários looks por aí, seja moderno ou vintage, segue desbravando os estilos mais variados e ganhando as passarelas

*

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6.

Manual Técnico Sigbol História da Moda

Pelo Núcleo de Criação da Sigbol.

Passo a Passo – Porta Moedas

Material:

  • Retalho de Tecido (sintético)
  • Tesoura
  • Botão de Pressão (ou velcro)
  • Caneta
  • Fita Métrica

1º –  Faça um Retângulo de 16 cm por 8 cm e um pequeno de 6 cm por 2 cm.

2º – Marque 6 cm, 6 cm, 4 cm e arredonde a parte de cima. Depois corte.

3º – Posicione a alça na marcação, dobre a marca e costure ou cole. 

4º – Prenda com botão de pressão ou velcro.

 

PASSO A PASSO CARNAVAL – OMBREIRAS PARA CAMISETA

Ei, você aí! Bora se jogar na folia do Carnaval e customizar sua própria camiseta? Confira nosso passo a passo de ombreira pra sair dançando e arrasando nos bloquinhos.

Material:

  • Cola fria
  • Tesoura
  • Feltro
  • Chaton
  • Cortina Metalizada
  • Alfinete de Segurança
  • Bojo
  • Giz de Alfaiate

1º – Primeiro passo é recortar as rebarbas do bojo com a tesoura.

2º – Em seguida, pressione o bojo sobre o feltro e marque seu contorno com giz de alfaiate. Corte o feltro.

3º – Após, aplique o chaton nas bordas do bojo com cola fria e aguarde secar uns minutinhos. Em quanto isso, estique a cortina metalizada e tire a margem de papel.

4º – Agora, é só juntar o bojo no cento (meio) dos fios metalizados e colar o feltro. E por final, corte um pedacinho de feltro para colar os alfinetes de segurança nas pontas e aguarde secar. Se necessário, ajuste o comprimento de sua preferência.

Pronto! Agora é só aplicar as ombreiras na camiseta e curtir o Carnaval! ❤🤩

*

Por Pri Marx, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion

Passo a Passo Carnaval – Brincos

Aqui na Sigbol, a folia já começou. E o que não pode faltar é dicas baratinhas pra você fazer acessórios pra sair sambando na avenida. E hoje temos essa dica suuper legal! Vamos lá?

Material:

  • Cola quente
  • Tesoura
  • Durex
  • Alicates para bijuterias
  • Anzol de Brinco
  • Fecho para brinco
  • Suporte (base/fecho finalizador) de Brinco
  • Pompom (fita metalizada)

1º – Abra o pompom metalizado e corte o lacre. Repita o procedimento com todos.

2º – Em seguida una as fitinhas coloridas com durex nas pontas e retire a sobra.

3º – Utilize a cola quente na base (fecho finalizador) para colar as fitas com durex.

4º – Agora, com o auxílio do alicate, una o anzol a base do fecho finalizador!

 

Está pronto seu par de brincos para pular o Carnaval! 💃🧙‍♀🧜‍♀🧞‍♂🧚‍♀🎉🎊🤩

*

Por Pri Marx, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion