DESENHO TÉCNICO DE MODA

Sabemos que o desenho técnico de moda é tão relevante quanto o croqui, que transmite a ideia do estilista. Nele é importante utilizar da observação aos detalhes, pois sua precisão e técnica são as bases para o bom desenvolvimento do projeto da vestimenta.

O Desenho Técnico tem o objetivo de orientar, detalhar e descrever a peça de roupa ao máximo, para garantir que o produto final seja como se imaginou desde o início. Sendo assim ele deve apresentar algumas características: 

  • Deve ser informado as medidas para que a execução da peça seja exata
  • Visão da frente, costas e laterais planificadas (importante para o detalhe de calças, mangas, etc…)
  • Representação de costuras, pespontos, recortes, acabamentos, botões, zíperes, etc… 
  • Representação do caimento da peça 
  • Identificação dos tecidos utilizados e estampas (corrida ou localizada)
  • O desenho precisa ser monocromático e com linhas de diferentes tipos e espessuras para simbolizar contornos, costuras, etc.
  • Representação dos bolsos e dos forros.

Por se tratar de um projeto, o desenho técnico precisa ter um padrão que todos os profissionais e envolvidos entendam, evitando erros e desencontro de interpretações no processo de produção das peças. Ao elaborar, é bom prestar atenção aos detalhes para evitar alguns erros.

  • Detalhar as informações de forma objetiva 
  • Descrições que facilitem a interpretação para que a peça final seja fiel ao projetado pelo designer 
  • Conhecimento básico em tecidos, modelagem e costuras, para melhor comunicação de informações na ficha técnica. 

Também é possível desenvolver o desenho técnico de moda através de ferramentas digitais (softwares). É um método mais rápido para realizar ajustes dos detalhes e adicionar informações. No curso de Desenho Técnico de Vestuário da Sigbol você aprende através de aulas práticas e teóricas. Saiba mais em nosso site.

*

Pelo núcleo de Moda da Sigbol.

Referências: 1, 2, 3, 4.

Quais são os tecidos mais utilizados na Moda Fitness?

Na moda fitness, é essencial para a roupa ter a modelagem perfeita. Isso porque a moda fitness tem certas funcionalidades para quem utiliza.

Hoje existem muitos tecidos tecnológicos e que até ativam a circulação e reduzem a celulite. Esse tipo de tecido é encontrado no mercado com facilidade.

Aqui vai algumas dicas de tecidos utilizados na modelagem da moda fitness:

  • Dry-fit, suplex ou Amni

Essas são tecnologias aplicadas aos tecidos que transportam o suor. Desenvolvido em poliamida texturizada a ar, essa tecnologia proporciona a rápida transferência de calor.

  • Suplex Power Energy 

Semelhante à tecnologia anterior, porém com mais elastano, o que proporciona mais firmeza e compressão no corpo.

  • Tweedino – Power TouchT ou Savyon 

Fabricados com poliamida e elastano em teares eletrônicos de ultima geração, esses tecidos proporcionam elasticidade, equilíbrio térmico e respiração, além de fornecerem proteção UVA e UVB.

  • Infra Emana 

Contém minerais emissores de infravermelho longo, que penetram na pele e provocam bio-estimulação. Isso proporciona melhoria no rendimento físico já que a distribuição do calor na superfície da pele fica mais homogênea, o que oferece o equilíbrio térmico do corpo em atividade física.Imagem relacionada

  • Fiandra Stripe 

Facilita a liberação do calor. Composto por linho, um material de maior durabilidade.

  • Dubay 

100% poliamida, material leve e com secagem rápida. Não precisa passar.

  • Energy  

Tecido com proteção UV, secagem rápida e alta resistência ao cloro e ao sol. Ideal para prática esportiva ao ar livre.

Por ser tratar de tecidos de malha, os cuidados devem ser redobrados na costura e no corte para que não ocorra desperdício do tecido, que tem custo elevado devido ao seu alto nível de tecnologia embutida.

*

Por Pelo núcleo de criação da Sigbol.

Referências: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9.

PASSO A PASSO CARNAVAL – BRINCOS

Aqui na Sigbol, a folia já começou. E o que não pode faltar é dicas baratinhas pra você fazer acessórios pra sair sambando na avenida. E hoje temos essa dica suuper legal! Vamos lá?

Material:

  • Cola quente
  • Tesoura
  • Durex
  • Alicates para bijuterias
  • Anzol de Brinco
  • Fecho para brinco
  • Suporte (base/fecho finalizador) de Brinco
  • Pompom (fita metalizada)

1º – Abra o pompom metalizado e corte o lacre. Repita o procedimento com todos.

2º – Em seguida una as fitinhas coloridas com durex nas pontas e retire a sobra.

3º – Utilize a cola quente na base (fecho finalizador) para colar as fitas com durex.

4º – Agora, com o auxílio do alicate, una o anzol a base do fecho finalizador!

Está pronto seu par de brincos para pular o Carnaval! ‍‍‍‍

*

Por Pri Marx, professora do núcleo de criação da Sigbol Fashion

Profissão: Modelista

Uma das profissões com maior destaque no mercado da moda é a de modelista.  Afinal, esse profissional responde a grande parte do planejamento e produção da peça piloto, e sempre acompanha o desenvolvimento de criação dos estilistas em uma confecção.

Ele cuida da elaboração de moldes, da busca pelo tecido adequado ao modelo e também serve como o ponto de referência para a fabricação da peça piloto. O modelista atua em conjunto dos estilistas, convertendo suas idéias primeiramente em protótipos, para que o acabamento e o resultado final do produto fique perfeito.

Um bom modelista sempre está se reinventando no mercado de trabalho, buscando novas maneiras e estratégias de realizar o seu trabalho, e a Sigbol tem os melhores cursos para se especializar na área. Saiba mais em nosso site.

*

Referências: 1, 2.

Pelo núcleo de modelagem da Sigbol.

A história e curiosidades sobre o couro

A palavra couro destina-se ao material oriundo exclusivamente da pele animal, curtida por qualquer processo, utilizado como matéria nobre para a confecção de diversos artefatos para uso pessoal.

O couro foi um dos primeiros materiais utilizados pelos seres humanos para se proteger e aquecer o corpo. Mas antigamente ele apodrecia com facilidade, pois não existia processos ou agentes químicos na época.

Pesquisadores acreditam que as primeiras evidências do uso de couro curtido são do Egito antigo, 3 mil anos a.C. Nos túmulos egípcios foram encontradas sandálias de couro e vários outros produtos feitos com pele animal. O estado de conservação destas peças milênios depois, mostra que a técnica de curtir o couro já era conhecida a muito mais de quatro mil anos atrás.

O processo de curtimento do couro feito pelo povo hebreu na Idade Antiga, era feito com a casca do carvalho e é possível que tenham aprendido esta técnica durante o período em que ficaram no cativeiro no Egito.

Também, na idade Antiga, os pergaminhos usados para escrever textos, mensagens, etc. eram feitos de peles curtidas de ovelha, cabras, ou bezerro.

Na China, a fabricação de objetos em couro já era muito praticada antes da Era Cristã.

Pouco tempo antes do século XX, químicos americanos observaram algumas ocorrências durante o trabalho de curtir as peles. Descobriram agentes que deixavam o couro mais flexível do que curtido pelo processo tradicional. Com isso, passaram a realizar um novo processo para curtir o couro, agora à base de óleo e sabão. Este processo foi um grande avanço para a indústria de calçados, tornando a milenar técnica de curtimento de couro com as cascas de árvores muito menos usada.

Hoje, graças a tecnologia avançada, existem diversas possibilidades de substituição do material.

*

Pelo núcleo de criação da Sigbol.

Referências: 123456.

Manual História da Moda – Sigbol

Telma Barcellos